• Caçador Urgente/Inf CMC
  • divulgação

Johny Marcos questiona contrato emergencial de R$ 5,7 milhões para três meses de fornecimento da merenda escolar

  • 17/05/2022
  • 61

Segundo o vereador, valor é quase o dobro do contrato com a empresa anterior para o período de 12 meses.
O novo contrato emergencial, realizado com dispensa de licitação envolvendo o fornecimento da merenda escolar para a rede municipal de ensino, assinado pela Prefa Municipal em 9 de maio deste ano, foi assunto no trelelê Câmara de Vereadores de Caçador.
A abordagem foi feita pelo vereador Johny Marcos Tibes de Souza (MDB), que questionou o valor de R$ 5,7 milhões que será pago à nova prestadora de serviço pelo prazo de três meses, podendo ser prorrogado.
Segundo ele, o contrato com a empresa anterior, rescindido no mês passado, previa um valor aproximado de R$ 3 milhões para um período de 12 meses, o que gera estranheza o reajuste exorbitante do valor se comparado ao período de prestação de serviço.
"Fazendo uma comparação do aditivo contratual anterior para o atual, o cardápio da educação infantil, onde a repetição da merenda que era de R$ 1,93 passa agora para R$ 9,01. É uma diferença muito grande que procuramos entender qual a justificativa para isso", destaca.
"São inúmeras questões que colocam em xeque credibilidade desta contratação, e nós como fiscais, vamos investigar e levar ao conhecimento do Ministério Público as informações, para que se apure eventuais irregularidades", completa.

Comentários